Product was successfully added to your shopping cart.
Dormir Bem
  
Bem-estar
  

Autismo: benefícios da melatonina para as crianças autista

Autismo e a Melatonina

Se você tem um filho com espectro autista já deve ter ouvido falar em melatonina, um hormônio muito discutido. Muitos estudos hoje atestam que o uso da melatonina pode ajudar no tratamento do autismo.

Quem convive com crianças com espectro autista sabe bem o que são as crises desencadeadas por diversos gatilhos. Por isso encontrar soluções não agressivas para tentar aliviar essas crises é sempre tão importante.

Mesmo que seus efeitos ainda não sejam completamente entendidos alguns benefícios são comprovados. Um deles é justamente o seu efeito no controle do sono e no combate à insônia, problema muito comum em crianças com espectro autista.

Veja o que você encontrará aqui:

Relação Entre Melatonina e o Sono

A melatonina é um hormônio produzido naturalmente no organismo humano que tem a função de regular o sono. Ela é produzida a partir do triptofano, um aminoácido que não é produzido pelo corpo humano e precisa ser ingerido na alimentação.

A falta desse aminoácido tem relação direta com a insônia e dificuldade para dormir a noite toda. O problema também pode estar relacionado com uma diminuição na produção de melatonina, ainda que os níveis de triptofano estejam normais.

A produção de melatonina é aumentada no período da noite, justamente para o corpo começar a se preparar para o sono. Quando o dia começa a nascer a produção desse hormônio começa a reduzir, voltando ao nível basal.

Algumas pessoas sofrem com problemas na produção de melatonina, seja por uma questão na síntese do hormônio ou pela pouca concentração de triptofano. Com a produção reduzida, independente do motivo, o sono não acontece de maneira natural.

Por isso é comum que essas pessoas tenham dificuldade para pegar no sono, se manter dormindo durante toda a noite e até dormir poucas horas.

Causas para a Insônia em Crianças com Autismo

O processo de sono das crianças é modificado conforme o seu crescimento, quando nascem dormem a maior parte do dia. Com o passar do tempo, as horas de sono durante o dia diminuem até chegar a fase em que não há mais cochilos durante o dia.

Quando essa etapa da infância é atingida a criança passa a dormir a noite inteira, em média até 10 horas por dia. Porém em alguns casos existe uma dificuldade de adaptação nesse processo.

Por isso, 2 a cada 10 crianças sofrem com dificuldades para dormir. Entre as crianças com espectro autista essa porcentagem é bem maior e por isso mais relevante, 8 em 10 autistas sofrem com insônia.

O motivo dessa falta de sono ainda não é claramente explicado. Mas o que se sabe é que alguns estudos já confirmaram que autistas têm menor concentração de triptofano no organismo.

Alguns estudos também observaram que crianças com espectro autista normalmente apresentam deficiência de uma enzima responsável pela produção do hormônio melatonina.

Essa pode ser uma das causas da privação de sono, outra causa é a produção da melatonina nos horários errados. Assim, durante a noite a produção do hormônio é reduzida e durante o dia a sua produção é aumentada.

É por esse motivo que algumas crianças sentem muito sono durante o dia. Também é possível que a causa esteja relacionada com os estímulos externos. Crianças autistas são mais sensíveis a barulhos mesmo quando já estão em sono profundo.

Assim, a simples presença dos pais no quarto pode ser capaz de despertar a criança e logo ela terá dificuldade de retornar o sono.

Os problemas de crianças autistas relacionadas ao sono não estão restritos a conseguir dormir. Elas também podem apresentar dificuldade para dormir a noite inteira e até dormir poucas horas.

Benefícios da Melatonina para Crianças com Autismo

A melatonina apresenta resultado muito positivo na maioria das crianças com espectro autista, principalmente relacionado ao sono. Ela ajuda a reduzir o tempo para dormir em até 40 minutos e aumenta o sono em até 1 hora.

Esses resultados são bem significativos e animadores para quem busca uma solução para controlar o problema de falta de sono. Mas os efeitos da melatonina vão além, ela também ajuda a controlar as crises de ansiedade e problemas gastrointestinais.

Assim, todo o tratamento das crianças com espectro autista se torna mais efetivo com o uso do suplemento de melatonina.

O uso de melatonina funciona para todas as crianças com autismo?

As pesquisas sobre o uso de melatonina no tratamento de crianças com espectro autista ainda são relativamente novas. Por isso não se tem um protocolo definido que atenda todos os pacientes.

Já ficou comprovado que o uso da suplementação de melatonina oferece resposta positiva na rotina das crianças com espectro autista. Tanto no controle do sono, quanto na rotina diária e nos tratamentos.

Porém em alguns estudos ficou claro que não são todas as crianças que têm uma resposta significativa. Em alguns casos não houve mudança no padrão de sono durante o uso de suplemento de melatonina.

A melhor explicação para isso até agora é que as crianças que não apresentaram melhora têm problemas de sono relacionados a outros fatores diferentes dos baixos níveis hormonais.

Como por exemplo efeito de estímulos externos antes da hora de dormir e até dificuldades para dormir com alguns barulhos.

Para esses casos o tratamento deve ser outro, o uso da melatonina só tem efeito em crianças com espectro autista que tem baixo nível de triptofano ou melatonina no organismo.

Assim, a conclusão é que o uso de suplemento de melatonina pode sim ser positivo para o tratamento de crianças com espectro autista. Porém, para saber se seu filho terá esses benefícios é preciso fazer uso do produto e observar os resultados.

Como se trata de um suplemento e não medicamento, os testes não oferecem nenhum risco às crianças. Claro que é necessário utilizar nas dosagens e horários corretos, dessa maneira no dia de início do tratamento os resultados serão notados.

Como usar Melatonina para Melhorar o Sono

A indicação da dosagem de melatonina para o tratamento de crianças com espectro autista ainda não foi determinada com precisão. O que vem sendo utilizado é 1mg a 3mg por dia de 30 minutos a 1 hora antes de dormir.

O ajuste da dosagem deve ser feito de acordo com a resposta ao tratamento, podendo chegar a até 10mg por dia. O consumo excessivo pode causar efeitos colaterais, por isso a dosagem nunca deve ultrapassar esse limite.

Outro cuidado é ter a orientação e acompanhamento do médico responsável durante todo o tratamento. Ele saberá qual a dosagem ideal e como reconhecer sintomas de alto consumo.

Antes de começar o uso também é importante relatar ao médico o problema de insônia, pois o problema pode ser algum medicamento. Assim, a causa da dificuldade para dormir pode estar relacionada a efeito colateral e não pela falta de melatonina no organismo.

Alimentos Ricos em Melatonina

Para quem prefere alternativas ainda mais naturais, alguns alimentos oferecem quantidades positivas de melatonina. O consumo desses alimentos pode ajudar a melhorar a qualidade do sono ou ainda potencializar o resultado do tratamento. Os alimentos fonte de melatonina são:

  • Uva;
  • Morango;
  • Cereja;
  • Pistache;
  • Soja germinada;
  • Leite materno;
  • Cogumelos;
  • Azeite de oliva extra virgem.

Lembrando que não é preciso consumir todos esses alimentos diariamente, escolha um para cada dia. Ou se a criança tem resistência a alimentos novos, ofereça apenas aqueles que ela tiver boa aceitação.

Dicas para Melhorar o Sono de Crianças com Autismo

Além do uso de melatonina, existem algumas dicas que podem melhorar o sono do seu filho autista de maneira bem significativa.

  • Evite entrar no quarto quando a criança já estiver dormindo;
  • Use tapete e cortina no quarto para evitar a entrada de luz externa e para evitar os barulhos das suas pisadas;
  • Certifique-se de que tenha porta esteja rangendo;
  • Crie uma rotina para o momento de dormir, como tomar banho, jantar e dormir sempre no mesmo horário;
  • Evite dar café, chás estimulantes e comidas pesadas para a criança no jantar, isso também pode afetar o sono;
  • Evite programas agitados, com muitas cores e com músicas, esses estímulos acabam dispersando o sono com mais facilidade;
  • Não faça barulho alto em outros cômodos da casa após a hora de dormir da criança;
  • De manhã deixe que a criança tenha contato com o sol para evitar a produção de melatonina no horário errado.

São dicas simples que podem potencializar o tratamento do sono do seu filho e melhorar as suas noites de descanso.

Referências:

Sobre a Autora

Diane Mello

Daiane Lamego de Mello, nutricionista formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora- UFJF, CRN-9 20046, pós graduanda em nutrição funcional pela Wpós.