Product was successfully added to your shopping cart.
Suplementação
  
Minerais
  

Ferro: o que é, para que serve, benefícios e contraindicação

Ferro

Para que serve o ferro? Para especialistas, o ferro é um nutriente essencial na vida, atuando na fabricação das células vermelhas do sangue. Além disso, age no transporte de oxigênio para todas as células corporais.

Um homem adulto saudável apresenta de 4 à 5 gramas de ferro no corpo, que pode ser ferro heme ou ferro não heme. Contudo, nem todos trazem essa presença do mineral, já que a deficiência de ferro é um cenário comum no Brasil.

O ferro pode ser obtido através de hábitos alimentares equilibrados ou por suplemento de ferro, dependendo da necessidade do indivíduo. Para entender melhor isso, prossiga com a leitura do artigo!

Veja o que você encontrará neste artigo:

O que é ferro e para que serve ele no organismo?

"Mesmo que se encontre presente entre 4 à 5 gramas no corpo, a função do ferro é vital para o organismo".

O ferro é um mineral essencial que apresenta papel fundamental no funcionamento das células, na síntese de DNA e no metabolismo energético. Ele é distribuído no corpo humano em forma orgânica e inorgânica, totalizando entre 4g à 5g num adulto.

70% do total de ferro é considerado funcional, pois desempenha funções fisiológicas na hemoglobina, mioglobina e nas enzimas intracelulares. Os 30% restantes são os ferros de armazenamento na forma de ferritina e hemosiderina.

O ferro é obtido principalmente de maneira exógena, sendo proveniente dos alimentos com ferro ou suplementos. Também pode ser obtido de forma endógena, sendo proveniente da destruição das hemácias, o que reaproveita 27mg de ferro no organismo.

O nutriente é dividido em dois tipos:

  • Ferro heme, que é presente em alimentos de origem animal (carne bovina, frango, peixe). Tem melhor absorção pelo organismo, sendo absorvido cerca de 15% dele num organismo normal e 35% num com baixa reserva de ferro;
  • Ferro não heme, que pode ser encontrado mais nos vegetais e cereais. Tem menor absorção, mas sua capacidade absortiva é reforçada pela vitamina C, vitamina A, proteínas da carne e os ácidos láctico, málico e cítrico.

Para que serve o Ferro no organismo?

O ferro é crucial para processos metabólicos como o transporte de oxigênio, metabolismo oxidativo e crescimento celular. Na hemoglobina, assume justamente a função de transporte do oxigênio para os tecidos do corpo e do dióxido de carbono para os pulmões.

Ele é essencial no equilíbrio dos glóbulos vermelhos ou células sanguíneas, o que também o coloca como participante na produção da hemoglobina. Quando há baixa presença de hemoglobina no sangue, geralmente é deficiência de ferro.

Na mioglobina, ele age como um fixador de oxigênio nas fibras musculares cardíacas e no músculo esquelético. O ferro forma a mioglobina no músculo e armazena-se nele em forma de ferritina.

Fora isso, o nutriente serve para:

  • A produção do colágeno e da elastina (que contribuem para a integridade do tecido conjuntivo);
  • Manutenção do sistema imunológico;
  • Produção e regulação de vários neurotransmissores do cérebro;
  • Impedimento dos danos causados por oxidantes no organismo.

Quais os Benefícios do Ferro

Entendendo o funcionamento do ferro, é simples de compreender quais os benefícios que ele carrega para o organismo. Quando com boa presença no corpo, ele traz as seguintes vantagens.

Prevenção da anemia ferropriva

A falta de ferro no organismo acaba fazendo com que ele produza menos hemoglobinas e, consequentemente, menos células vermelhas. O resultado é um quadro de anemia ferropriva, comum em crianças, adolescentes e gestantes.
Com a presença do ferro em boa quantidade, se evita os sintomas de fadiga, fraqueza muscular e dificuldades de concentração.

Auxilia nas funções cerebrais e musculares

O ferro auxilia no transporte de oxigênio do sangue e cerca de 20% desse oxigênio é levado até o cérebro. Quando há boa presença de ferro, a concentração aumenta e a irritabilidade diminui.

Já nos músculos, o ferro garante que o oxigênio alcance todas as células musculares, o que permite o desempenho elevado de atletas.

Ajuda na boa oxigenação do coração

O ferro no organismo faz parte da formação das proteínas mioglobinas, que são presentes no miocárdio. Pela sua presença aqui, ocorre uma melhor oxigenação do músculo, o que evita problemas do coração.

Melhora a imunidade do organismo

A presença de ferro no organismo ajuda na melhora da imunidade, pois ele atua na manutenção do sistema imunológico. Quando há falta de ferro, é possível reconhecer falhas cognitivas como o menor desempenho neuropsicológico.

Produção de energia para o corpo

Novamente por causa do seu transporte de oxigênio, o ferro acaba auxiliando na produção de energia para atividades físicas.

Dá suporte para a pele, cabelos e unha

Os benefícios do ferro para a pele ocorrem pelo nutriente fazer parte da produção de colágeno e elastina. Ambos são essenciais na integridade do tecido conjuntivo, mantendo a saúde da pele.

Além disso, contribui com a nutrição das raízes do cabelo e na ativação das funções antioxidantes. Quando combinado com as vitaminas do complexo B, fortalece o cabelo e as unhas.

É essencial para gestantes e bebês

A presença de ferro no organismo da mulher reduz o risco de morte materna no parto ou no pós-parto. É muito comum que gestantes e lactantes precisem de suplementos de ferro para diminuir os riscos de vida.

Além disso, o nutriente diminui o nascimento de bebês prematuros e com baixo peso e é fundamental para o crescimento saudável da criança.

O que ocorre quando há deficiência de ferro?

Os sintomas da deficiência de ferro no sangue são inespecíficos, o que pode exigir exames laboratoriais para confirmar o diagnóstico. Contudo, alguns sintomas podem ser identificados, como:

  • Fadiga generalizada;
  • Falta de apetite;
  • Palidez na pele e nas mucosas;
  • Menor disposição;
  • Apatia;
  • Falta de ar e tontura.

Outros sintomas podem surgir fora da faixa etária adulta. Em crianças, pode haver o retardo do crescimento e o comprometimento da capacidade de aprendizagem, da coordenação motora e da linguagem.

Além disso, há a falta de atenção, baixa resistência a infecções e redução na atividade física e nas relações afetivas. Já em gestantes, há o risco do recém-nascido ter baixo peso ao nascer ou da morte do feto/criança recém-nascida.

Em geral, o maior causador é a baixa ingestão de alimentos ricos em ferro ou a má absorção do mesmo pelo organismo. Fora isso, praticantes de atividade física e gestantes acabam tendo necessidade extra do nutriente.

E o que ocorre quando há o excesso de ferro no organismo?

A ingestão excessiva de alimentos com ferro não costuma levar a uma situação tóxica para o corpo. Em geral, o excesso de ferro no organismo é causado pela ingestão medicamentosa acima do recomendado.

Quando isso ocorre, há o aumento na produção de radicais livres e surge uma necessidade maior da vitamina E. A sobre dose também leva à diarreia ou vômitos com sangue, dor no peito, dor abdominal e aumento dos glóbulos brancos.

Além disso, pode favorecer a gravidade de doenças cardiovasculares, neoplasias malignas, acidentes vasculares cerebral, artrites, doenças neonatais e infecções.

Dessa forma, o excesso de ferro no organismo deve ser evitado, sendo obedecida a quantidade recomendada do nutriente para cada faixa etária.
Além disso, há o caso em que o indivíduo pode absorver muito ferro pelo trato digestivo por causa da hemocromatose, o que pode levar ao excesso.

Quais são os alimentos com ferro que podem fazer parte da sua rotina?

O ferro pode ser encontrado basicamente em vegetais, leguminosas, carnes brancas e carnes vermelhas. Nas carnes vermelhas e brancas, é encontrado o ferro heme, enquanto nos vegetais e cereais são encontrados principalmente o ferro não heme.
De qualquer forma, é importante que siga a quantidade recomendada de ferro para cada faixa etária:

  • Bebês até 6 meses: 0,27mg;
  • Bebês até 12 meses: 11mg;
  • Crianças entre 1 e 3 anos: 7mg;
  • Crianças entre 4 e 8 anos: 10mg;
  • Crianças entre 9 e 13 anos: 8mg;
  • Homens entre 14 e 18 anos: 11mg;
  • Mulheres entre 14 e 18 anos: 15mg;
  • Homens entre 19 e 50 anos: 18mg;
  • Mulheres entre 19 e 50 anos: 8mg;
  • Acima de 50 anos: 8mg;
  • Gestantes: 27 mg;
  • Lactantes abaixo dos 18 anos: 10mg;
  • Lactantes acima dos 19 anos: 9mg.

Entendida a quantidade diária recomendada, quais são as principais fontes de ferro?

Carnes vermelhas com ferro

As principais carnes vermelhas fontes de ferro são:

  • Fígado de peru cozido apresenta 7,8mg. Já o figado de vaca grelhado traz 5,8mg de ferro e o fígado de frango cozido 8,5mg;
  • Carne de vaca possui 3,6mg;
  • Carne de cordeiro apresenta 1,8mg.

O ferro presente em alimentos de origem animal acaba tendo uma absorção maior no intestino, chegando a 20-30%.

Carnes brancas com ferro

As principais carnes brancas fontes de ferro são:

  • Mariscos ao vapor apresentam uma grande quantidade de ferro, 22mg;
  • Ostras cozidas trazem 8,5mg;
  • Atum fresco grelhado possui 2,3mg. Já o atum enlatado apresenta 1,3mg;
  • Sardinha grelhada tem também 1,3mg.

Vegetais e leguminosas ricas em ferro

Nos alimentos de origem vegetal, está o ferro com menor absorção (não heme), pois é absorvido 5% do total de ferro na composição. Dessa forma, é importante consumir os vegetais mais ricos no nutriente:

  • Semente de abóbora traz 14,9mg de ferro;
  • Pistacho possui 6,8mg;
  • Cacau em pó agrega 5,8mg de ferro ao organismo, assim como o damasco seco;
  • Tofu apresenta 5,4mg;
  • Sementes de girassol trazem 5,1mg;
  • Uva passa possui 4,8mg;
  • Coco seco tem 3,6mg;
  • Noz apresenta 2,6mg;
  • Feijão branco cozido tem 2,5mg, enquanto o feijão preto cozido tem apenas 1,5mg. Por fim, o feijão verde tem 1,4mg;
  • Espinafres crus apresentam 2,4mg;
  • Amendoim possui 2,2mg;
  • Grão de bico cozido apresenta 2,1mg;
  • Lentilhas cozidas trazem 1,5mg;
  • Abóbora cozida e aveia em flocos apresentam ambos 1,3mg.

E quais são os efeitos colaterais do ferro?

Os efeitos colaterais do ferro são raros, acontecendo geralmente no uso em excesso ou por públicos contraindicados. Os possíveis efeitos são:

  • Dor abdominal;
  • Diarreia;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Dores epigástricas;
  • Constipação;
  • Dispepsia;
  • Hipersensibilidade (mais comum em alérgicos aos sais de ferro).

Quais são as contraindicações do ferro?

O ferro é contraindicado para casos de hipersensibilidade aos sais de ferro ou a qualquer um dos componentes do suplemento de ferro. Também é contraindicado para casos onde já há excesso de ferro no organismo, como em pacientes com hemocromatose.
O ferro também não deve ser buscado por pessoas com doenças hepáticas agudas, gastrointestinais ou anemia (não causada por deficiência de ferro). Além disso, fica a contraindicação para pacientes com incapacidade de utilização do ferro no organismo.
No caso de mulheres grávidas ou lactantes, pode ser indicado, mas apenas com orientação médica.

Conclusão sobre o Ferro

O ferro se trata de um mineral essencial importante para o correto funcionamento do organismo, principalmente quando falamos sobre oxigênio. Com o seu transporte de oxigênio, o ferro garante diferentes benefícios para o corpo.

Dessa maneira, é sentida bastante a sua ausência, seja por má alimentação ou por dificuldades de absorção do nutriente. Nesse caso, é necessária uma alimentação mais equilibrada ou a suplementação.

Além disso, deve favorecer os nutrientes que melhoram a absorção do ferro, como a vitamina C e a A. Também deve evitar a ingestão simultânea do nutriente com o ácido fítico, os taninos, cálcio e a cafeína.

Agora que sabe para que serve o Ferro, pode inseri-lo mais na sua rotina. Se ainda tem dúvidas, deixe a sua pergunta abaixo ou apenas comente o que achou.

Se gostou da leitura, compartilhe e informe mais suas amizades sobre esse nutriente!