Product was successfully added to your shopping cart.
Suplementação
  
Minerais
  

Selênio: o que é, para que serve, benefícios e contraindicação

Selênio

Para que serve o selênio? Bem, ele se trata de um mineral com grande poder antioxidante, capaz de prevenir doenças como o câncer e de fortalecer o sistema imunológico. Basicamente, ele é essencial para o correto funcionamento da tireoide.

O selênio é presente no solo e pode ser encontrado na água e em alimentos como farinha de trigo, pão e gema de ovo. Também pode ser encontrado como suplemento de selênio, mas apenas em casos de falta de selênio no organismo.

Em excesso, pode ser um risco para a sua vida, mas na medida certa, é crucial para um organismo saudável. Entenda mais sobre o seu funcionamento agora!

Veja o que você irá encontrar aqui:

O que é o selênio e para que serve ele no organismo?

“Em pequenas quantidades, o selênio é um nutriente essencial indispensável para o organismo humano.”

O selênio se trata de um mineral presente na água e em vários alimentos que auxilia na conservação da vida. Ele é um oligoelemento, ou seja, um nutriente essencial que é necessário apenas em pequenas quantidades.

No corpo humano, ele é presente na forma dos aminoácidos selenocisteína e selenometionina. Ambos são gerados por reações químicas que ocorrem após a ingestão do selênio.

Esses aminoácidos se tornam depois proteínas, que atuam em diversos papéis vitais para o funcionamento do organismo. Dessa forma, o selênio está presente na:

  • Regulação dos processos reprodutivos;
  • Metabolismo da tireoide;
  • Síntese de DNA;
  • Proteção das células no estresse oxidativo;
  • Combate aos processos inflamatórios.

Para que serve o selênio no organismo?

O selênio é presente numa importante enzima antioxidante, a glutationa peroxidase. Essa enzima atua diretamente no controle dos processos envolvendo o estresse orgânico, impedindo a formação em excesso dos radicais livres.

Com a ingestão certa de selênio, a glutationa peroxidase tem sua atuação aumentada, o que gera benefícios no sistema cardiovascular. É possível prevenir doenças como AVC, infarto e outros problemas do coração.

Inclusive, o selênio tem a função de prevenir o surgimento e o avanço das doenças neurodegenerativas.

O mineral também assume uma função importante na tireoide, convertendo o hormônio T4 em T3, sua forma mais ativa. Com isso, o hormônio atua mais e melhor no sistema nervoso, coração, intestino, humor e peso.

Quais são os benefícios do selênio para o organismo?

Tendo principalmente uma ação antioxidante, é fácil de apontar os benefícios do selênio para o organismo. Numa dosagem ideal (sem pecar pelo excesso de selênio), o mineral apresenta diferentes vantagens em alimentos naturais ou suplementos.

E quais são?

Poderosa ação antioxidante

O selênio é um poderoso antioxidante que reduz a quantidade de radicais livres presentes no organismo de maneira severa. Com isso, se evita a inflamação no organismo, alteração no funcionamento das células e o envelhecimento precoce.

Mantém a tireoide funcionando normalmente

O selênio é um mineral bastante presente na tireoide, sendo essencial para a boa produção dos seus hormônios. Com a falta de selênio nele, podem ocorrer problemas como a tireoidite de Hashimoto.

Nesse tipo de hipotireoidismo, as células de defesa começam a atacar a tireoide, o que reduz o seu funcionamento.

Fortalece o sistema imunológico

O selênio, quando em doses adequadas, ajuda na redução da inflamação do organismo e na melhora do sistema imunológico. Ele é capaz de ajudar pessoas com HIV, tuberculose e hepatite C, aumentando a imunidade delas.

Previne o surgimento do câncer e das doenças cardiovasculares

Justamente por ser um antioxidante, o selênio é capaz de proteger as células contra alterações no DNA, que poderiam levar ao surgimento de tumores. Com isso, se previne o câncer de pulmão, de mama, de próstata e de cólon.

Enquanto diminui a presença de substâncias inflamatórias, o selênio aumenta a quantidade da glutationa peroxidase. Com isso, reduz a oxidação do colesterol ruim nos vasos sanguíneos, o que poderia levar à produção das placas de ateroma.

Sem as placas, não há o entupimento das artérias, o que acabaria levando ao infarto, AVC, trombose e outras doenças cardiovasculares.

Evita o surgimento da doença de Keshan

A doença de Keshan se trata de um problema caracterizado pelas alterações no músculo do coração. Ela é uma forma mais fatal da cardiomiopatia (doença do músculo cardíaco), sendo um risco de vida que afeta o músculo do coração.

E quem causa esse problema é a falta de selênio no organismo, ou melhor, a deficiência de selênio.

Auxilia na perda de peso

O selênio ajuda na redução de peso de duas formas:

  • Prevenindo o hipotireoidismo, uma doença que deixa o metabolismo mais lento e favorece o ganho de peso;
  • Atuando como anti-inflamatório e antioxidante, o que reduz as alterações hormonais conectadas com o excesso de gordura. Ao regular a produção dos hormônios da saciedade, favorece o emagrecimento.

Previne o surgimento do mal de Alzheimer

Com sua ação antioxidante, o selênio é capaz de prevenir ou reduzir o avanço de doenças como: mal de Alzheimer, mal de Parkinson e esclerose múltipla. Conforme você adota fortes fontes de selênio, mais fácil de sentir esse benefício se torna.

Preserva a integridade dos ossos e das articulações

Novamente por sua ação antioxidante, o selênio é capaz de preservar a integridade dos ossos e articulações. Ao combater os radicais livres e diminuir sua ação, o mineral proporciona uma composição óssea mais firme.

O que ocorre quando há deficiência de selênio?

A deficiência de selênio ou hiposselenemia se trata de uma deficiência nutricional rara em humanos, sendo mais comum em animais de fazenda. Ela ocorre quando se consome o mineral abaixo do recomendado.

As prováveis causas são uma dieta pobre em selênio, má absorção do mineral pelo organismo ou o excesso de excreção. Costumam ser consequência de lesões no intestino, diarreia ou vômito.

Os principais sintomas desse problema são:

  • Exaustão;
  • Cansaço mental;
  • Problemas cardiovasculares;
  • Asma;
  • Alergias;
  • Hipotireoidismo;
  • Infertilidade masculina;
  • Doença de Keshan.

Além disso, crianças com deficiência durante a fase de crescimento podem ter uma doença incapacitante das articulações e dos ossos (doença de Kashin-Beck).

E se essa deficiência for combinada com a deficiência de iodo, pode surgir o bócio e o já citado hipotireoidismo (tireoide hipoativa).

O tratamento para a falta de selênio no organismo costuma ser a inserção de alimentos com selênio na dieta ou suplementação oral/intravenosa.

E quando há o excesso de selênio?

O excesso de selênio também é um grande problema para o organismo, sendo causado pela ingestão excessiva do suplemento de selênio. Acima de 800 microgramas por dia, o nutriente passa a causar efeitos nocivos.

Os seus principais sintomas são:

  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Perda de cabelo;
  • Unhas estranhas;
  • Fadiga;
  • Lesão dos nervos;
  • Respiração com cheiro de alho;
  • Erupção cutânea.

O diagnóstico para o excesso de selênio é a observação desses sintomas, principalmente a perda de cabelo. Já o tratamento é simples: apenas reduzir o consumo do mineral.

Qual a dosagem diária recomendada de Selênio?

Antes de conhecer as principais fontes de selênio, é importante entender o que é recomendado consumir. O mineral é capaz de ser nocivo tanto na deficiência, quanto no excesso, e a sua dosagem recomendada varia conforme o gênero e a idade.

  • Até 6 meses: 15 microgramas;
  • Entre 7 meses e 3 anos: 20 microgramas;
  • Entre 4 e 8 anos: 30 microgramas;
  • Entre 9 e 13 anos: 40 microgramas;
  • A partir de 14 anos: 55 microgramas;
  • Grávidas: 60 microgramas;
  • Lactantes: 70 microgramas.

Através de uma alimentação equilibrada e variada envolvendo os alimentos com selênio, é possível obter o nutriente de maneira segura. Veja agora os principais!

Alimentos com selênio que podem fazer parte do cardápio

Tomando como referência uma porção de 100g de cada alimento, você encontra o selênio na:

  • Castanha do pará, com 4000 microgramas (a maior quantidade entre as fontes de selênio);
  • Atum, com 115 microgramas de selênio. Além disso, é rico em vitaminas do complexo B e ômega 3;
  • Ostras, com 65 microgramas;
  • Sementes de girassol, com 59,5 microgramas do mineral;
  • Lombinho magro de porco, com 54,6 microgramas;
  • Mexilhões, com 48 microgramas;
  • Farinha de trigo, com 42 microgramas;
  • Camarão, com 31 microgramas (peixes e crustáceos costumam apresentar boa concentração de selênio);
  • Pão francês, com 25 microgramas;
  • Gema de ovo, com 20 microgramas;
  • Centeio, com 13,8 microgramas;
  • Aveia, com 13 microgramas;
  • Frango (cozido), com 7 microgramas;
  • Clara de ovo, com 6 microgramas;
  • Arroz, com 4 microgramas;
  • Leite em pó e feijão, com ambos tendo 3 microgramas. Uma fatia de queijo e uma carne bovina também apresentam a mesma quantidade;
  • Alho e repolho, com ambos tendo 2 microgramas.

Selênio de origem animal ou vegetal?

Entre as fontes de selênio, os alimentos de origem animal apresentam melhor absorção pelo intestino em relação aos de origem vegetal. Contudo, é importante variar a dieta e manter uma combinação equilibrada entre os dois!

Quais são as contraindicações do selênio?

Em geral, não existem contraindicações para o selênio na forma de suplemento, o que os torna bastante seguros de serem consumidos. Contudo, há grupos que precisam de orientação e recomendação médica antes de iniciar o consumo.

Esses grupos são as gestantes, lactantes, idosos, crianças e portadores de qualquer enfermidade. Nesses casos, é necessário que o consumo do suplemento de selênio seja feito com a orientação profissional correta.

Além disso, se o consumidor apresenta alergia a algum dos componentes do suplemento (além do selênio), é contraindicado o consumo do mesmo.

Há efeitos colaterais no consumo dos suplementos de selênio?

Se tomados corretamente, não há efeitos colaterais registrados. O problema é quando a suplementação é feita de maneira incorreta, o que pode levar ao excesso de selênio e a algumas reações negativas.

Em geral, essas reações causam mal-estar e levam aos seguintes sintomas:

  • Queda de cabelo;
  • Dor de cabeça;
  • Fraqueza muscular;
  • Fadiga;
  • Dores articulares;
  • Cabelos e unhas fracas;
  • Unhas sem brio;
  • Irritação.

Conclusão

O selênio é um mineral curioso no organismo humano – apesar de essencial, é recomendado que seja presente em pouca quantidade. Numa dosagem adequada, suas funções antioxidantes previnem um rol de doenças.

É possível ver a sua atuação contra disfunções na tireoide, os diferentes tipos de câncer e até o mal de Alzheimer ou de Parkinson. O mineral reforça o sistema imunológico, melhora o sistema cardiovascular e até mesmo auxilia na perda de peso.

Por isso que deve buscar por fontes de selênio, como alimentos de origem animal e/ou vegetal. Além disso, há a suplementação, que deve ser buscada apenas com indicação profissional e numa dosagem bastante regrada.

Quando o mineral está equilibrado em seu organismo, é fácil de sentir a diferença que faz no mesmo. Agora que sabe para que serve o selênio, comenta o que achou e as suas dúvidas. Se gostou do conteúdo, compartilhe nas suas redes sociais!