Product was successfully added to your shopping cart.
Suplementação
  
Vitaminas
  

Vitamina E: Para que Serve, Alimentos, Benefícios e Deficiência

Vitamina E

A Vitamina E é importantíssima para o nosso organismo, porém, ela não é produzida naturalmente pelo nosso corpo.

Ela é um nutriente lipossolúvel que apresenta uma ação antioxidante, e tem diversas funções em nosso corpo, daí a importância de ingerir a quantidade recomendada desta vitamina diariamente.

Quando presente no organismo, é essencial para o seu funcionamento, melhorando o sistema imune e prevenindo doenças como o Alzheimer. Em sua ausência, diversos sintomas surgem ao nível do sistema nervoso central.

Mas a boa notícia é que além de estar disponível em diversos alimentos, você também pode contar com os suplementos alimentares para suprir as suas necessidade diárias de Vitamina E.

Veja o que você irá encontrar neste artigo:

O que é Vitamina E?

De acordoco artigo publicado na Revista de Nutrição em 2007 a "A Vitamina E apresenta efeitos positivos, tanto para a saúde humana, quanto para a qualidade nutricional dos alimentos".

Também conhecida como tocoferol, a Vitamina E se trata de um nutriente lipossolúvel com ação antioxidante. Em termos químicos, é um grupo de oito compostos solúveis em gordura, com 4 tocoferóis e 4 tocotrienóis.

Ela atua no combate aos radicais livres, reduzindo o envelhecimento precoce das células e o risco do desenvolvimento de alguns tipos de câncer. É presente no tecido nervoso e no muscular, além de atuar na fertilidade masculina.

O tocoferol é capaz de melhorar o sistema imune, além de existirem efeitos positivos da Vitamina E para a pele, o rosto e o cabelo.
Contudo, a vitamina não é produzida naturalmente pelo organismo, sendo obtida pela alimentação e por suplementos de Vitamina E.

Para que serve a Vitamina E?

Pela sua ação antioxidante, o principal papel da Vitamina E é a proteção do organismo contra os efeitos dos radicais livres. O tocoferol auxilia na proteção da membrana celular contra a ação dos radicais, o que previne o envelhecimento precoce das células.

Por consequência, diminui o risco do surgimento de câncer e do Alzheimer.

Além disso, o tocoferol ajuda na modulação da arteriosclerose, o que costuma evitar os problemas cardiovasculares como o infarto. Também evita o surgimento da esteatose hepática, condição popularmente conhecida como "gordura no fígado".

É importante salientar que a ação antioxidante da vitamina se estende para os espermatozoides, os protegendo dos radicais livres. Com um bom nível de Vitamina E no organismo, mais forte é a fertilidade masculina.

Por fim, a sua ação anti-inflamatória ajuda na manutenção da imunidade e na saúde da pele, do cabelo e das unhas.

Quais os benefícios da Vitamina E?

Por sua ação antioxidante e anti-inflamatória, a Vitamina E acaba apresentando diferentes benefícios ao organismo. Conheça agora os principais!

Melhora a resposta do sistema imunológico

Os radicais livres tendem a prejudicar a resposta normal do organismo aos agentes patogênicos. Com o consumo correto de Vitamina E, ocorre uma melhora do sistema imune justamente nesse ponto.

Além disso, o consumo adequado da vitamina acaba aumentando a resistência contra diferentes infecções, como o vírus Influenza.

Reforça a defesa contra doenças neurológicas

Quando há deficiência de Vitamina E no organismo, são comuns as alterações no sistema nervoso central.

Por esse motivo que a sua suplementação é relacionada com a prevenção ou tratamento do Parkinson, Alzheimer e Síndrome de Down.

Apesar de ainda serem necessárias mais algumas pesquisas, estudos apontam os efeitos positivos do tocoferol contra os processos neurodegenerativos.

Reforça a defesa contra doenças cardiovasculares

A Vitamina E é capaz de reduzir o nível de mortalidade das doenças cardiovasculares. Ela pode diminuir o estresse oxidativo do LDL (mau colesterol) e a inflamação no organismo, dois fatores comumente associados com o surgimento dessa doença.

Além disso, a vitamina auxilia no controle e manutenção dos níveis de colesterol no sangue e evita a formação de coágulos nas artérias. Nisso, reduz o risco da trombose.

Auxilia no tratamento do fígado gordo

Ao combinar as duas ações da vitamina (antioxidante e anti-inflamatória), é possível diminuir os níveis de enzimas hepáticas presentes no sangue. Também é sentida a diminuição do excesso de gordura no fígado e da fibrose.

Todas essas situações são relacionadas ao dano hepático do fígado gordo não alcoólico.

Aprimora a força e a resistência muscular

O dano do tecido oxidativo induzido pelos exercícios físicos é reduzido pela atuação da antioxidante Vitamina E. Como consequência, é aprimorada a força e a resistência muscular para treinos mais prolongados.

Além disso, a recuperação pós-treino acaba se tornando muito mais rápida.

Auxilia no reparo e reconstrução do cabelo e das unhas

A Vitamina E para cabelo é bastante efetiva, mas apenas quando acompanhada do selênio. Os dois nutrientes juntos auxiliam na reparação e reconstrução dos tecidos presentes nos fios de cabelo e nas unhas.

A Vitamina E para a pele

A Vitamina E é presente na formação do colágeno pelo organismo, uma substância que favorece a firmeza da pele.

O nutriente atua na prevenção do envelhecimento precoce, reduzindo o número de rugas e linhas de expressão e melhorando o viço.

Por fim, a Vitamina E para a pele auxilia na cicatrização e hidratação, o que deixa a mesma mais bonita e macia de se tocar.

Combate a infertilidade masculina

Por fim, o nutriente atua contra os radicais livres que podem degradar os espermatozoides (células reprodutoras masculinas). Com isso, manter os níveis recomendados de Vitamina E, também melhora a qualidade do esperma e aumenta a mobilidade dos espermatozoides.

Fontes de Vitamina E

Em geral, é fácil obter a Vitamina E através de uma alimentação saudável e balanceada. Contudo, certas condições médicas acabam afetando a absorção do nutriente e o seu uso no organismo.

Nesse caso, é possível contar com suplementos alimentares. Neste caso é sempre bom contar com a ajuda de um médico ou nutricionista para que a quantidade diária seja adequada para cada caso.

Alimentos com Vitamina E

É necessário consumir alimentos com Vitamina E em pequenas porções durante o decorrer do dia, respeitando os valores diários recomendados.

Em sua maioria, a principal fonte do nutriente é vegetal, estando presente em:

  • Vegetais verde-escuros;
  • Óleos vegetais;
  • Oleaginosas;
  • Gérmen de trigo.

Os poucos alimentos de origem animal são o fígado, ovo e salmão.

Alimentos ricos em Vitamina E

A quantidade de Vitamina E registrada em cada alimento aqui tem como referência uma porção de 100g.

  • Semente de girassol apresenta 52mg de Vitamina E. O óleo de girassol apresenta 51,48mg;
  • Avelã possui 24mg;
  • Óleo de milho e óleo de canola apresentam ambos 21,32mg;
  • Azeite traz 12,5mg;
  • Castanha do Pará possui 7,14mg. É também rica em selênio, magnésio e fósforo;
  • Amendoim possui 7mg. Apresenta outras proteínas e minerais que auxiliam no melhor funcionamento do coração, da memória e da fertilidade feminina;
  • Amêndoas têm 5,5mg de Vitamina E. Considerada um superalimento, apresenta fibras, proteínas, gorduras boas, outras vitaminas e minerais;
  • Óleo de fígado de bacalhau apresenta 3mg;
  • Nozes apresentam 2,7mg. Além disso, são ricas em ômega 3 e 6;
  • Marisco possui 2mg;
  • Acelga traz 1,88mg do nutriente;
  • Molho de tomate apresenta 1,39mg.

Frutas ricas em Vitamina E

Numa categoria à parte, há também muitas frutas ricas em Vitamina E, como:

  • Abacate, com 1,4mg. Além da E, também é encontrada a Vitamina A, Vitaminas do complexo B, Vitamina C e minerais como cálcio, ferro e fósforo;
  • Ameixa seca, com 1,4mg;
  • Manga, com 1,2mg;
  • Mamão, com 1,14mg. É também fonte de Vitamina C, de cálcio, ferro e potássio;
  • Abóbora, com 1,05mg;
  • Uva, com 0,69mg.

Suplemento de Vitamina E

A Vitamina E é encontrada na forma de cápsula, líquido e em cremes para a pele. Os cremes são indicados para retardar o envelhecimento precoce da pele, diminuir os danos ambientais aos fios e melhorar a microcirculação do couro cabeludo.

Já os suplementos em forma líquida ou em cápsulas são comumente utilizados contra a deficiência de Vitamina E.

Quando usar o suplemento de Vitamina E?

  • Quando apresentar má absorção de gordura;
  • Quando houver alterações genéticas nas enzimas alfa-TTP ou na apolipoproteína B;
  • Se for um recém-nascido prematuro;
  • Em caso de colesterol alto;
  • Se for um casal com problemas de fertilidade;
  • Se for uma pessoa idosa;
  • Para manter a saúde da pele e do cabelo.

Quais são os valores diários recomendados?

Os valores diários que são recomendados para a Vitamina E variam conforme a idade e se há situação de gravidez. Eles são:

  • Até 6 meses: 4 mg/dia;
  • Entre 7 e 12 meses: 5mg/dia;
  • Entre 1 e 3 anos: 6mg/dia;
  • Entre 4 e 8 anos: 7mg/dia;
  • Entre 9 e 13 anos: 11mg/dia;
  • A partir dos 14 anos: 15mg/dia;
  • Mulher grávida: 15mg/dia;
  • Mulher lactante: 19mg/dia.

Se for o caso de um recém-nascido prematuro, o pediatra pode recomendar um valor diário de 10 a 15mg da Vitamina E.

Deficiência de Vitamina E: o que isso pode causar?

A deficiência de Vitamina E é rara de ocorrer. Quando ocorre, é com pessoas com má absorção de gorduras, que apresentam alterações genéticas ou que foram recém-nascidos prematuros.

Há doenças que acabam provocando a má absorção de gorduras, como a insuficiência pancreática ou a doença de Crohn. Em todos esses casos, é necessário o exame de sangue e acompanhamento por um especialista.

E o que ocorre quando há essa deficiência?

Consequências da deficiência de Vitamina E

A maior consequência da deficiência é o envelhecimento precoce das células do corpo. Isso acaba acarretando problemas como:

  • Doenças neuromusculares, como Síndrome de Guillain-Barré e distrofia muscular;
  • Anemia;
  • Retinopatia;
  • Redução da resposta imune;
  • Problemas neurológicos;
  • Queda de cabelo;
  • Desenvolvimento de doenças crônicas (câncer, problemas do sistema cardiovascular, Alzheimer).

Quais os efeitos colaterais da Vitamina E?

Em doses regulares, não são constatados efeitos colaterais da Vitamina E. Contudo, eles podem surgir se houver excesso de Vitamina E ou dosagem por grupo contraindicado.

Os principais efeitos são:

  • Náuseas;
  • Fadiga;
  • Dor de cabeça;
  • Palpitações;
  • Alterações na coagulação sanguínea;
  • Flatulência e diarreia.

Outros efeitos adversos raros são a cefaleia, disfunção gonadal e visão turva.

Conclusão

A Vitamina E se trata de um antioxidante natural, assim como um anti-inflamatório. Ela é essencial no combate aos radicais livres, onde quer que eles atuem, diminuindo o risco do envelhecimento precoce e do desenvolvimento de câncer.

Seus usos são variados, indo de uma questão estética (pele e cabelo) até uma questão de saúde (doenças cardiovasculares e neurológicas). Dessa forma, a sua ausência no organismo pode ser sentida através de diferentes sintomas.

Para evitar a deficiência de Vitamina E, é necessário compor uma alimentação equilibrada e balanceada. Se existir um problema de saúde que acarrete na má absorção do nutriente, deve buscar acompanhamento médico e suplementação.

Porém, precisa evitar o excesso de Vitamina E, pois isso leva a diferentes efeitos colaterais para o seu corpo.

Agora, você sabe para que serve a Vitamina E, seus benefícios e onde encontrá-la. O que achou desse artigo? A quantidade de benefícios do nutriente lhe chamou atenção? Se gostou, comente e compartilhe esse conteúdo para mais pessoas!