Product was successfully added to your shopping cart.
Suplementação
  
Vitaminas
  

Vitamina K: Para que Serve, Benefícios e Deficiência

Vitamina K

Para que serve a Vitamina K? Ela se trata de uma vitamina pouco conhecida, mas ainda bastante importante. Ela é referenciada muitas vezes como a “Vitamina K da coagulação”, pois participa da coagulação sanguínea.

Além disso, é a "Vitamina K da densidade óssea", pois aumenta a fixação do cálcio na massa óssea, fortalecendo os ossos.

Ela é muito imprtante para o nosso organismos, pois, deficiência de Vitamina K pode ocasionar sangramento, urina com sangue e até mesmo hemorragias.

Fique com a gente para que possamos mostrar a você a importância dessa vitamina, seus benefícios, onde encontrar e os riscos de sua deficiência!

Veja o que você encontrará neste artigo:

O que é a Vitamina K?

De acordo com um artigo publicado na Proceedings of National Academy of Sciences dos Estados Unidos, "A Vitamina K se trata de um nutriente lipossolúvel que prolonga a vida do ser humano e até mesmo aprimora a saúde na velhice".

A Vitamina K, também conhecida como vitamina anti-hemorrágica, se trata de um nutriente lipossolúvel formado por um grupo de compostos lipofílicos derivados do isopreno.

Ela desempenha basicamente dois papéis no organismo humano:

  • Participa da coagulação sanguínea, evitando o risco de hemorragias;
  • Fortalece os ossos, aprimorando a fixação do cálcio na massa óssea.

Nosso organismo produz parte da vitamina que necessitamos naturalmente pelas bactérias presentes na microflora intestinal. Porém, praticamente 50% na nossa necessidade diária tem que ser obtida através dos alimentos ou suplementos alimentares, podendo ser natural ou sintetizada.

Para que serve a Vitamina K?

A atuação da Vitamina K na coagulação é bastante importante. Ela é presente na síntese hepática das proteínas envolvidas na coagulação sanguínea, como a protrombina (quando combinada com o cálcio, promove o efeito coagulante).

Além da protrombina, a vitamina é presente na síntese de diversos fatores de coagulação. O resultado é que seu organismo controla melhor os sangramentos e favorece a cicatrização.

Seu outro grande papel é na regulação do depósito de cálcio no organismo. A vitamina não atua na síntese do nutriente, mas sim na sua correta distribuição, que muitas vezes é a causa de doenças ósseas.

A Vitamina K2 auxilia na fixação do mineral nos ossos e impede que ocorra a calcificação dos vasos sanguíneos, evitando problemas como a aterosclerose.

Além disso, evita o envelhecimento precoce da pele pelo cálcio acumulado nos tecidos cutâneos.

Os tipos da Vitamina K

A Vitamina K é dividida em três grupos: a K1, K2 e K3. A Vitamina K1, também conhecida como filoquinona, é bastante importante na coagulação sanguínea, contribuindo para a formação das proteínas que asseguram a coagulação.

Ela é encontrada principalmente em vegetais ricos de Vitamina K1, que devem fazer parte da sua dieta.

Já a Vitamina K2, também conhecida como menaquinona, contribui com a fixação do cálcio nos ossos, combinando ele com a osteocalcina. Ela se trata da proteína presente na estrutura óssea.

Além disso, ela também ativa as proteínas presentes na coagulação sanguínea e promove a elasticidade dos vasos e artérias. É produzida naturalmente pela flora intestinal e pode ser encontrada em alimentos de origem animal e fermentados.

Por fim, a Vitamina K3, também conhecida como menadiona, é um nutriente produzido artificialmente em laboratório. Ela é recomendada para quem apresenta deficiência da vitamina, estando presente em suplementos de Vitamina K.

Quais são os Benefícios da Vitamina K?

A Vitamina K, em suas diferentes formas, é bastante benéfica para o organismo. Conheça agora os principais benefícios da Vitamina K!

Aprimora a coagulação sanguínea

A Vitamina K na coagulação é parte do ácido glutâmico, um aminoácido presente no evento químico conhecido como carboxilação. Esse evento é o que permite que o sangue de uma ferida aberta pare e coagule, evitando o sangramento em excesso.

Por isso que a deficiência de Vitamina K é comumente associada a diferentes sangramentos: nasal, menstrual, hemorragia, anemia, nódoas negras e por aí vai.

Melhora a densidade óssea no organismo

A Vitamina K acaba bloqueando a formação em excesso dos osteoclastos (células ósseas) disponíveis para outras funções corporais. Isso evita que os ossos fiquem perigosamente esgotados de minerais pelo processo de desmineralização.
Além disso, a vitamina está relacionada com a densidade óssea do organismo ao combinar o cálcio com a osteocalcina.

Se trata de um agente anti-inflamatório interno

A vitamina também reduz de maneira significativa a liberação da glicoproteína de interleucina-6. Isso é algo importante para reduzir as inflamações que ocorrem no interior do corpo.

Controla o nível de açúcar no sangue

A Vitamina K também é presente na regulação do açúcar presente no sangue. O pâncreas se trata do produtor de insulina e nele há o segundo maior teor de Vitamina K no corpo, o que ajuda na regulação.

Ajuda mulheres grávidas e recém-nascidos prematuros

Mulheres grávidas podem acabar tendo falta de Vitamina K no organismo, o que pode levar aos sintomas de náuseas e vômitos. Com uma ingestão mais elevada para o caso, é possível evitar estes e outros sintomas.
Além disso, a vitamina acaba evitando a hemorragia em bebês prematuros.

Auxilia na saúde dos vasos sanguíneos e das artérias

A Vitamina K é presente na redistribuição correta do cálcio no organismo, retirando-o de espaços onde não deveria estar. Por exemplo, nos vasos sanguíneos e nas artérias, onde pode causar a aterosclerose.
Com a redistribuição, ela promove uma maior elasticidade para os vasos sanguíneos.

Fontes de Vitamina K

De forma natural, a Vitamina K é obtida através de uma alimentação balanceada entre vegetais, alimentos de origem animal e frutas. Com essa combinação, é possível obter as principais vitaminas K.

Contudo, se apresentar uma condição médica que dificulte a retenção da vitamina no organismo, é necessário que busque suplementos de Vitamina K.

Alimentos que contém Vitamina K

A Vitamina K2 e a K1 podem ser encontradas em diferentes alimentos, sejam de origem animal ou vegetal. Após absorvida pelo intestino, o nutriente acaba ficando armazenado no fígado, de onde começa a sua atuação.

E quais são os alimentos com Vitamina K?

Alimentos de origem animal ricos em Vitamina K

Todos os alimentos a seguir são apresentados numa porção de 100g:

  • Frango apresenta 0,0012mg ou 1,2mcg;
  • Fígado apresenta 0,0033mg ou 3,3mcg;
  • Ovo cozido traz 0,048mg ou 48mcg;
  • Costeletas de porco possui 0,069mg ou 69mcg;
  • Queijo amarelo possui 0,087mg ou 87mcg;
  • Queijo branco apresenta 0,059mg ou 59mcg.

São a principal fonte de Vitamina K2!

Alimentos de origem vegetal ricos em Vitamina K

Também numa porção de 100g, esses são os alimentos de origem vegetal:

  • Salsa traz uma presença de 1,64mg ou 1640mcg;
  • Couve-de-bruxelas cozida tem 0,59mg ou 590mcg;
  • Espinafre cru garante 0,40mg ou 400mcg;
  • Couve-flor crua apresenta 0,30mg ou 300mcg;
  • Brócolis cozido traz 0,292mg ou 292mcg;
  • Acelga cozida apresenta 0,14mg ou 140mcg;
  • Alface possui 0,211mg ou 211mcg;
  • Cenoura crua traz 0,145mg ou 145mcg;
  • Repolho garante 0,076mg ou 76mcg.

São a principal fonte de Vitamina K1!

Frutas ricas em Vitamina K

Duas frutas merecem ser citadas aqui:

  • Abacate, que apresenta 0,02mg ou 20mcg;
  • Morango, que apresenta 0,015mg ou 15mcg.

Suplemento de Vitamina K

A Vitamina K é encontrada principalmente na forma de cápsulas em suplementos. Eles são indicados em situações de deficiência da vitamina, onde o usuário não é capaz de reter a Vitamina K que obtém.

Se existirem os sintomas da deficiência, a pessoa deve buscar o acompanhamento médico para entender qual é a melhor resposta.

Quais são os valores diários recomendados da Vitamina K?

Para saber o quanto de vitamina deve consumir por dia, é necessário seguir a tabela de valores diários indicada por especialistas:

  • Até 6 meses: 2mcg ou 0,002mg;
  • Entre 7 e 12 meses: 2,5mcg ou 0,0025mg;
  • Entre 1 e 3 anos: 30mcg ou 0,030mg;
  • Entre 4 e 8 anos: 55mcg ou 0,055mg;
  • Entre 9 e 13 anos: 60mcg ou 0,060mg;
  • Entre 14 e 18 anos: 75mcg ou 0,075mg;
  • A partir de 19 anos (homens): 120mcg ou 0,12mg;
  • A partir de 19 anos (mulheres): 90mcg ou 0,090mg;
  • Grávidas e lactantes: 90mcg ou 0,090mg.

Deficiência de Vitamina K

A deficiência de Vitamina K é rara, mas pode ocorrer. A vitamina é absorvida pelo intestino, mas o mesmo pode apresentar problemas relacionados ao sistema gastrointestinal, o que afeta a retenção do nutriente.

Alguns problemas são a síndrome do cólon irritável, doença de Crohn, uso prolongado de antibióticos ou cirurgia bariátrica. Além disso, a falta de Vitamina K na dieta, assim como de gorduras, e o consumo em excesso de óleo mineral pode ser problemático.

Em relação aos recém-nascidos, o problema ocorre pela baixa quantidade de Vitamina K que é passada de mãe para filho durante a gravidez. Somado a isso, seu intestino ainda não apresenta as bactérias necessárias para a produção da Vitamina K2.

Quais são os sintomas da deficiência de Vitamina K

O principal sintoma é o sangramento sob a pele (que causa nódoas negras), nasal, estomacal ou intestinal. O sangramento no estômago é o que pode provocar vômitos com sangue e sangue na urina ou nas fezes. As fezes podem apresentar uma cor negra.

Além disso, há o risco de hemorragia cerebral nos recém-nascidos. Por fim, existe o enfraquecimento dos ossos.

Em qualquer caso, é necessário que realize um exame de sangue para medir a rapidez da coagulação sanguínea. Se for detectada a deficiência de Vitamina K, é necessária uma injeção intramuscular do nutriente ou o consumo de suplemento.

Efeitos colaterais da Vitamina K

Em doses regulares, são raros os efeitos colaterais da Vitamina K. Porém, quando consumida em excesso, a vitamina pode trazer alguns riscos à saúde, como:

  • Coágulos;
  • Trombose;
  • Icterícia;
  • Perda da função hepática.

Outros efeitos que podem surgir com a suplementação em excesso são a hipersensibilidade, tontura e pulso rápido e fraco. Mais sintomas podem aparecer se a vitamina tiver sido injetada.

Contraindicação da Vitamina K

O suplemento de Vitamina K deve ser utilizado apenas com a orientação médica ou de um nutricionista – e só quando houver deficiência. Isso pode ser identificado através de um exame de sangue.

Os principais grupos de risco são os recém-nascidos prematuros, pessoas que passaram por cirurgia bariátrica e usuários de medicamentos que reduzem a absorção de gordura. A Vitamina K é dissolvida e absorvida junto com a gordura.

Nesses casos, é mais do que essencial o acompanhamento médico. Além disso, há a contraindicação da Vitamina K se o usuário apresentar hipersensibilidade a algum dos componentes do suplemento.

Conclusão

A Vitamina K não é a mais popular das vitaminas, como por exemplo, a Vitamina A, Vitamina B, Vitamina C, Vitamina E, mas ainda assim é bastante importante. Sem a sua presença, é possível notar efeitos severos na coagulação sanguínea e na densidade óssea.

Seguindo os valores diários recomendados, é possível manter o equilíbrio do nutriente no organismo. Contudo, em certos casos, isso não é possível e se torna necessário consumir suplementos de Vitamina K.

Claro que isso deve ser realizado com acompanhamento médico, de forma que não haja o consumo em excesso da vitamina.

Agora, você sabe para que serve a Vitamina K, quais são seus benefícios e onde encontrar. Achou essa informação relevante? Então comente, compartilhe esse conteúdo na internet e interaja conosco!